segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Dia da Alimentação



No âmbito da comemoração do “Dia da alimentação”, foi dinamizada pela turma do 8.º ano, no dia 25 de outubro, a atividade “As especiarias na Alimentação”, um breve apontamento sobre as especiarias dos Descobrimentos na nossa alimentação de todos os dias.
A atividade teve lugar no bar da nossa escola e os alunos, com a ajuda dos pais, puderam demonstrar os seus dotes culinários através da confeção de deliciosas iguarias, nas quais esteve bem presente o toque das especiarias. 
De referir ainda que colaboraram nesta iniciativa as áreas disciplinares de História, OC-CID-ME, Educação Tecnológica, Ciências Naturais, bem como o(a) docente coordenadora do Projeto de Educação para a Saúde, em articulação com a Biblioteca Escolar, onde foi realizada a pesquisa para a realização do trabalho.
Parabéns a todos pela vossa participação!











quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Livro em destaque no mês de outubro

Livro: A Chave para Rebecca

Autor: Ken Follett

 Sinopse:

Norte de África, Verão de 1942. Rommel parece imbatível: as suas armas secretas são Alex Wolff, espião exímio, e um código fatal oculto nas páginas de Rebecca, o romance de Daphne du Maurier.
Wolf cruza o escaldante sara e entra no Cairo para roubar os planos militares britânicos. O major Vandam, no seu encalço, encarrega a encantadora Elene de o seduzir.

À medida que as tropas de Rommel se aproximam da vitória, a perseguição vai-se desenrolando no deserto até chegar a um confronto impressionante e explosivo.

Sugestões de leitura


Cartaz - outubro mês das Bibliotecas Escolares


Escritor/Personalidade do mês de outubro

Luís Sepúlveda

Luis Sepúlveda nasce em Ovalle, 4 de outubro de 1949 é um romancista, realizador, roteirista, jornalista e ativista político chileno. Reside atualmente em Gijón, emEspanha, após viver entre Hamburgo e Paris. Em 1970 vence o “Prémio Casa das Américas” pelo seu primeiro livro Crónicas de Pedro Nadie, e também uma bolsa de estudo de cinco anos na Universidade Lomonosov de Moscovo. No entanto só ficaria cinco meses na capital soviética, pois foi expulso da universidade por “atentado à moral proletária”, causado, segundo a versão oficial, por Luís Sepúlveda manter contactos com alguns dissidentes soviéticos.
De regresso ao Chile é expulso da Juventude Comunista, adere ao Partido Socialista Chileno e torna-se membro da guarda pessoal do presidente Salvador Allende. No golpe militar do dia 11 de Setembro de 1973, que levou ao poder o ditador general Augusto Pinochet, Luís Sepúlveda encontrava-se no Palácio de La Moneda a fazer guarda ao Presidente Allende.
Membro ativo da Unidade Popular chilena nos anos 70, teve de abandonar o país após o golpe militar de Augusto Pinochet.
Viajou e trabalhou no Brasil, Uruguai, Paraguai e Peru. Viveu no Equador entre os índios Shuar, participando numa missão de estudo da UNESCO. Sepúlveda era, na altura, amigo de Chico Mendes, herói da defesa da Amazónia. Dedicou a Chico Mendes O Velho que Lia Romances de Amor, o seu maior sucesso.
Perspicaz narrador de viagens e aventureiro nos confins do mundo, Sepúlveda concilia com sucesso o gosto pela descrição de lugares sugestivos e paisagens irreais com o desejo de contar histórias sobre o homem, através da sua experiência, dos seus sonhos, das suas esperanças.