segunda-feira, 30 de maio de 2016

Sugestões de leitura para o mês de junho de 2016


Livro em Destaque no mês de junho de 2016

Título do Livro: A história de Lupita
Autora: Laura Esquivel

Sinopse:
Lupita é uma mulher fora de série.
Forte. Ardente. Inesquecível.
Numa sociedade obcecada com as aparências,
O dinheiro e o poder, ela é uma heroína improvável.
Uma lutadora que protege os mais fracos e injustiçados.

Lupita é também uma mulher com um passado doloroso.
Frágil. Romântica. Devastada.
Que vive com memórias agridoces de um tempo que, sabe, não voltará.


Na sua busca por amor, ela dá por si no lugar errado à hora errada. Bastarão apenas uns segundos para mudar sua vida. Ao testemunhar um assassinato, Lupita, passa a ser uma mulher marcada. Mas a revolta que nasce dentro de si é mais forte que o medo que sente. A vítima, Arturo, era o único homem em quem acreditava incondicionalmente. A sua morte leva-a a tomar uma decisão extrema: lutar até ao limite das suas forças e fazer justiça… por Arturo, por si própria e por todos aqueles que não têm voz.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Amostras para ler +

 Amostras para ler+Amostras para ler +


Como é do vosso conhecimento, quinzenalmente, a equipa da Biblioteca, vai às salas de aula, ler uma história e fazer troca de livros.
Boas Leiturassssssssss

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Hora do Conto






A sexta feira chegou, e com ela os meninos vieram à Biblioteca.
A Prof. Natércia leu "Eu e Tu" de Anthony Browne.
Troca de livros.
Boas Leiturasss

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Projeto Cinema & Ambiente


                        Vem assistir ao filme na Biblioteca escolar,
                        dia 11-05-2016 pelas 14:00 H.

Palestra sobre Aristides Sousa Mendes.




No dia 9 de maio, no âmbito da disciplina de História em articulação com a Biblioteca Escolar e com a disciplina de OC-Cidadania e ME foi dinamizada uma palestra pela Docente Célia Prata sobre um herói português: Aristides de Sousa Mendes. O Público-alvo foram os alunos do 6.ºano e 9.ºano em virtude da consolidação de conteúdos lecionados na disciplina de História.
Durante a II Guerra Mundial, Aristides de Sousa Mendes, desempenhando as funções de cônsul em Bordéus, desobedeceu às ordens de Salazar ao salvar mais de 30 000 vidas da perseguição nazi. Este gesto de coragem, humanidade e determinação afastou-o da carreira diplomática e de qualquer atividade profissional, sendo ostracizado pelos seus pares, familiares e amigos. Os filhos foram perseguidos e, não podendo encontrar trabalho em Portugal, foram obrigados a emigrar. Aristides de Sousa Mendes acabou por morrer na miséria. No entanto foi reconhecido por Yehuda Bauer, professor de Estudos do Holocausto no Avraham Harman Institute of Contemporary Jewry na Universidade Hebraica de Jerusalém: “Talvez a maior ação de salvamento feita por uma só pessoa durante o holocausto” e pelo Yad Vashem, (“Autoridade de Recordação dos Mártires e Heróis do Holocausto”) a 18 de outubro de 1966, como Justo entre as Nações. Aqui ficam alguns testemunhos que nos dão motivo para nos orgulharmos deste nosso Herói Português.
Testemunhos retirados do livro: O cônsul Desobediente – autora: Sónia Louro:
“ O Senhor é para Portugal a melhor das propagandas, é uma honra para a sua pátria.
Todos aqueles que o conheceram louvam a sua coragem, o seu grande coração, o seu espírito cavalheiresco, e acrescentam: se os portugueses se parecem com o Cônsul Mendes, são um povo de cavalheiros e de heróis”.
Extrato da carta de uma refugiada salva por Aristides de Sousa Mendes
“Reconheço como um ato de Deus que um homem como este estivesse no lugar certo à hora certa”.
Carta dirigida à organização israelita para a recordação do Holocausto
“ Tenho agora 75 anos, sou professor jubilado do MIT. Estou casado há 50 anos com uma mulher maravilhosa, sou pai de dois filhos pelos quais sinto uma grande alegria e orgulho.
Tive uma vida rica. Se não fosse pela ação de Sousa Mendes, eu teria provavelmente morrido de forma horrível num campo de concentração antes dos 17 anos de idade”
Carta de um refugiado que recebeu um visto em 1940
Professora Célia P

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Clube Europeu

Em comemoração ao Dia da Europa, os alunos que pertencem ao Clube, fizeram um trabalho relacionado com o mesmo, que consiste na exposição de um cartaz exposto na Biblioteca.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Livro em Destaque no mês de maio

Livro: O Filho Perdido de Philomena Lee
Autor: Martin Sixsmith
SINOPSE:
Enquanto adolescente na Irlanda de 1952, Philomena Lee engravidou e foi enviada para um convento – uma «mulher perdida, caída em desgraça».
Durante três anos após o nascimento do filho, cuidou dele naquele lugar. Depois a Igreja levou-o de si e vendeu-o, a exemplo de inúmeras outras crianças, para a América, onde foi adotado.
Esta é a história de Philomena – e a história do seu filho Michael, que morreu antes de saber que a mãe nunca deixou de o amar e de o procurar.
Trata-se de uma história de vidas marcadas pela hipocrisia e pelo secretismo, uma narrativa convincente e fascinante sobre amor e perda – pungente, porém redentora.

Escritor/Personalidade do mês de maio

António Lobo Antunes nasceu em Lisboa, em 1942. Estudou na Faculdade de Medicina de Lisboa e especializou-se em Psiquiatria. Exerceu, durante vários anos, a profissão de médico psiquiatra. Em 1970 foi mobilizado para o serviço militar. Embarcou para Angola no ano seguinte, tendo regressado em 1973.
Em 1979 publicou os seus primeiros livros:
-“Memória de elefante”;
-"Os cus de judas”;
-“Conhecimento do inferno”;
Estes primeiros livros são marcadamente biográficos, e estão muito ligados ao contexto da guerra colonial; transformaram-no imediatamente num dos autores contemporâneos mais lidos e discutidos, no âmbito nacional e internacional.



–“Explicação dos Pássaros”;
-“Fado Alexandrino”;
-“Auto dos Danados”;
-“As Naus”;
-“Tratado das Paixões da Alma”;
-“A Ordem Natural das Coisas”;
-“A Morte de Carlos Gardel”;
-“O Manual dos Inquisidores”;
-“O Esplendor de Portugal”;
-“Exortação aos Crocodilos”;
-“Não Entres Tão Depressa Nessa Noite Escura”;
-“Que Farei Quando Tudo Arde”;
-“Boa Tarde às Coisas Aqui Em Baixo”;
-“Eu Hei-de Amar uma Pedra”;
-“Ontem Não te Vi em Babilónia e em 2007”;
-“O Meu Nome É Legião”
                                          
constam, ainda, três volumes de crónicas.


Todo o seu trabalho literário, com o passar dos anos, tem sido utilizado para os mais diversos estudos, académicos, e de vários prémios, nacionais, por exemplo, por duas vezes, o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa, e internacionais; entre estes, destacam-se o Prémio Europeu de Literatura, o Prémio Ovídio, o Prémio Internacional de Literatura da União Latina, o Prémio Rosalía de Castro, o Prémio Jerusalém de Literatura, o Prémio Iberoamericano das Letras José Donoso e o Prémio Camões.








Top Leitor - mês de abril de 2016