sexta-feira, 24 de abril de 2015

Hora do Conto




 
As semanas passam rápido, e a 6ª feira chegou para o Pré-escolar voltar à biblioteca ouvir a história« A que sabe a lua » contada pela Prof. Natércia aos seus alunos.
Requisição de livros
A Prof. Maria José também veio com os seus alunos devolver e requisitar mais livrinhos.
Voltem sempre. Boas leituras!!!

Concurso Nacional de Leitura




Concurso Nacional de Leitura
9ª Edição. 2014/2015 - Provas Distritais
Biblioteca Municipal de Âlmodovar
Escola Dr. João de Brito Camacho
23 de abril de 2015
Participantes:
Ana Guerreiro - 9º ano
Dina Carvalho - 8º ano
Marco Cortegano - 7º ano
Parabéns pela participação!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Hora do Conto


 
As turmas do Pré-escolar, voltaram mais uma sexta-feira, requisitar os seus livrinhos.
A Prof. Natércia leu aos seus alunos a história« Os bolsos da Marta»
Ficamos à espera da próxima visita.
Bom fim de semana. Boas Leituras!!!

Conclusão da Palestra - Atividade











Em homenagem a Aristides Sousa Mendes, falecido a 3 de abril de 1954.
Realizou-se uma atividade, dirigida aos alunos do 6º e 9º ano, que consistiu na visualização do filme« the cônsul of Bordéus» e resolução de um questionário.

O nosso agradecimento à Prof. Célia Prata, Prof. Fernando Simões e Prof. Nuno Domingues.
A equipa da Biblioteca

Aristides Sousa Mendes, que foi um diplomata português ao serviço do Estado Novo. Durante a II Guerra Mundial, Aristides de Sousa Mendes, desempenhando as funções de cônsul em Bordéus, desobedeceu às ordens de Salazar ao salvar mais de 30 000 vidas da perseguição nazi. Este gesto de coragem, humanidade e determinação afastou-o da carreira diplomática e de qualquer atividade profissional, sendo ostracizado pelos seus pares, familiares e amigos. Os filhos foram perseguidos e, não podendo encontrar trabalho em Portugal, foram obrigados a emigrar. Aristides de Sousa Mendes acabou por morrer na miséria. No entanto foi reconhecido por Yehuda Bauer, professor de Estudos do Holocausto no Avraham Harman Institute of Contemporary Jewry na Universidade Hebraica de Jerusalém : “Talvez a maior ação de salvamento feita por uma só pessoa durante o holocausto” e por Yad Vashem, (“Autoridade de Recordação dos Mártires e Heróis do Holocausto”) a 18 de outubro de 1966, como Justo entre as Nações. Aqui ficam alguns testemunhos que nos dão motivo para nos orgulharmos deste nosso Herói Português.
Testemunhos retirados do livro : O cônsul Desobediente – autora: Sónia Louro:
“ O Senhor é para Portugal a melhor das propagandas, é uma honra para a sua pátria.
Todos aqueles que o conheceram louvam a sua coragem, o seu grande coração, o seu espírito cavalheiresco, e acrescentam: se os portugueses se parecem com o Cônsul Mendes, são um povo de cavalheiros e de heróis”.
Extrato da carta de uma refugiada salva por Aristides de Sousa Mendes
_
“Reconheço como um ato de Deus que um homem como este estivesse no lugar certo à hora certa”.
Carta dirigida à organização israelita para a recordação do Holocausto
_
“ Tenho agora 75 anos, sou professor jubilado do MIT. Estou casado há 50 anos com uma mulher maravilhosa, sou pai de dois filhos pelos quais sinto uma grande alegria e orgulho.
Tive uma vida rica. Se não fosse pela ação de Sousa Mendes, eu teria provavelmente morrido de forma horrível num campo de concentração antes dos 17 anos de idade”
Carta de um refugiado que recebeu um visto em 1940

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Palestra - Atividade


Na Biblioteca às 14:00 - Palestra - Atividade sobre Aristides Sousa Mendes.
Contamos com a vossa presença. Apareçam!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Amostras para ler +




Mais uma visita às salas de aula do 1º ciclo.
Continuem interessados pela leitura, ler é bom. Até daqui a 15 dias.

Hora do Conto



A Prof. Natércia, como todas as 6ª feiras veio com os seus alunos à Biblioteca.
A história hoje foi « O Sonho da Mariana ». Requisitaram os livros, como é habitual. Voltem sempre, Boas Leituras!!!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Livro em destaque em abril de 2015


Livro: A Lebre de Olhos de Âmbar Uma herança escondida

Autor: Edmund de Waal

 

Sinopse: 264 pequenas esculturas de madeira e marfim, nenhuma maior que uma caixa de fósforos: o oleiro de Edmund de Waal cruza-se com elas quando conhece a colecção em Tóquio, em casa do seu tio-avô Iggie. Mais tarde, quando Edmund herda os netsuke, eles deixam-lhe ver uma história muito maior do que a que ele poderia ter imaginado…

Os Ephrussi vieram de Odessa, e a certa altura eram os maiores exportadores de cereais do mundo; em 1870, Charles Ephrussi fazia parte de uma rica nova geração que se instalava em Paris. O poeta Jules Laforgue foi seu secretário e Marcel Proust inspirou-se nele como modelo do esteta Swann de Em Busca do tempo perdido. A paixão de Charles era o colecionismo, e os netsuke, comprados quando os objetos japoneses faziam furor nos salões parisienses, foram enviados como presente de casamento ao seu primo banqueiro em Viena.

Mais tarde, três crianças- entre elas o jovem Ignace – brincaram com a coleção num momento em que a História lhes caía em cima. O Anschluss e a Segunda Guerra Mundial arrastaram os Ephrussi para o reino do esquecimento. O que restou do seu vasto império foi quase só a coleção de netsuke, subtraídos do gigantesco palácio vienense (na altura ocupado pelos teóricos hitlerianos da questão judaica), um a um, no bolso de uma fiel criada, e escondidos depois no seu colchão de palha.

Neste extraordinário livro de memórias, Edmund de Waal viaja pelo mundo para olhar os magníficos edifícios que os seus antepassados habitaram. E traça o percurso de uma família notável sobre o pano de fundo de um século tumultuoso. E, numa escrita tão elegante e precisa como os próprios netsuke, conta-nos a história de uma coleção única que passou de mão em mão e que, num golpe do destino, encontrou o seu caminho de volta ao Japão.

Escritor / Personalidade do mês de abril


Jack Kerouac
 

Jean-Louis Lebris de Kerouac (12 de Março de 1922 - 21 de Outubro de 1969), mais conhecido por Jack Kerouac, foi um escritor norte-americano.

Infância e juventude


Kerouac, de origem franco-canadense, teve uma infância séria, onde era muito dedicado à mãe. Frequentou um colégio jesuíta e ajudou o pai numa fábrica de impressão. Um de seus traumas mais trágicos, que voltaria relatado nos seus romances, foi a morte do seu irmão Gerard quando ele tinha apenas nove anos.

Devido às dificuldades económicas pela qual passava a família, Jack resolveu fazer parte da equipe de futebol americano do colégio para tentar uma bolsa de estudo na faculdade. Conseguiu entrar na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, para onde se mudou com a família. Devido a um acidente que o impossibilitou de jogar por alguns meses, Kerouac começou a passar mais tempo frequentando a biblioteca da universidade, tendo assim seu primeiro contacto com autores que influenciaram muito da sua obra, entre os quais cita : Louis-Ferdinand Céline, Jack London.

Não se ajustando à Marinha de guerra, acabou na Marinha mercante, onde ficou algum tempo. Quando não estava em viagem, Jack andava por Nova Iorque acompanhado pelos seus amigos "delinquentes" da Universidade de Columbia, entre eles Allen Ginsberg e William Burroughs, chamado de Bill pelos camaradas, além do seu maior companheiro de viagens, Neal Cassady. Este, recém chegado em Nova Iorque, com sua esposa de 16 anos. Neal Cassady era um verdadeiro produto das ruas, passou sua infância e parte da juventude em reformatórios. Foi a época em que Jack conheceu os grandes amigos que formariam, alguns anos mais tarde, o "pelotão de frente" da geração beat, para desgosto da mãe.

Coleção Educação Literária


Coleção: Educação Literária

Metas Curriculares de Português

Leitura recomendada para o 8.º e para o 11.º anos de escolaridade.

Sinopse:

A Abóbada

O arquiteto português Afonso Domingues desenha uma complexa abóbada para o Mosteiro da Batalha, mas fica cego, em 1401, antes de a edificar… O rei D. João I contrata, então, um arquiteto irlandês, mestre Ouget, que não acreditando no projeto inicial, avança com um novo. O que acontecerá?

A história da construção desta abóbada podia ser um simples e aborrecido relato, mas é digna de um romance elaborado. Assim é este e muitos outros episódios da História de Portugal, que Alexandre Herculano tão bem soube glorificar!

 

Este livro é também recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 8.º ano de escolaridade.

A Coleção Educação Literária reúne obras de referência da literatura portuguesa e universal indicadas pelas Metas Curriculares de Português e pelo Plano Nacional de Leitura.

 

Alexandre Herculano

Top Leitor