quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Biblioteca de Barrancos - LIVRO DE DEZEMBRO



Sinopse:
Seara de Vento é uma tragédia belíssima, que exorbita da novelística e da dramaturgia clássicas, para reclamar a tela das obras-primas do cinema – ou o palco giratório.

A VERDADEIRA HISTÓRIA DO NATAL

Nos dias 13 e 14 de Dezembro os alunos do Pré-Escolar e 1º Ciclo dirigiram-se à Biblioteca para ouvirem " A verdadeira História do Natal", dinamizada pela equipa.


No final da história realizaram uma atividade e levaram para cas uma pequena lembrança alusiva a esta quadra festiva.












A Equipa da Biblioteca deseja a todos Boas Festas e Boas Leituras

COMO SER DIFERENTE


No dia 7 de Dezembro, realizou-se na Biblioteca de Barrancos, uma sessão de esclarecimentos sobre o tema “Como é ser diferente?” dirigida aos alunos do 9º ano. Esta sessão foi dinamizada pelo Psicólogo Educacional Carlos Miguel Rodrigues da APPACDM de Moura, a qual decorreu com sucesso.




terça-feira, 6 de dezembro de 2011

DIA INTERNACIONAL DA DEFICIÊNCIA

No dia 3 de Dezembro comemorou-se o Dia Internacional da Deficiência.Neste âmbito, a Equipa da Biblioteca em colaboração com a Equipa do EnsinoEspecial e o Departamento do Pré-escolar preparou a Hora do Conto com histórias,uma canção e actividades alusivas a este tema.Nos dias 25, 28 e 29 de Novembro todas as turmas do Pré-escolar e 1ºciclo se dirigiram à Biblioteca para ouvirem as histórias: “Não faz mal serdiferente” e “O elefante diferente”.







A aluna Maria Manuela, orientada pela professora Sílvia, colaborou na actividade do Jardim-de-Infância, com muito empenho e dedicação.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Bibloteca de Barrancos - dedica o mês ao escritor alentejano Manuel da Fonseca




Manuel Lopes Fonseca, mais conhecido como Manuel da Fonseca . Nas suas obras, carregadas de intervenção social e política, relata como poucos a vida dura do Alentejo e dos alentejanos.
nasceu em Santiago do Cacém, em 15/10/1911 e faleceu em Lisboa em 11/03/1993. Fez os estudos secundários em Lisboa, tendo se dedicado desde cedo ao jornalismo. Em 1925 publicou num semanário de província os seus primeiros versos e narrativas.Iniciou se em poesia com a colectânea "Rosa dos Ventos" (1940) e na ficção, com os contos "Aldeia Nova" (1942). Ligado ao neo-realismo, evoluiu no sentido de um regionalismo crescente, ligado ao seu Alentejo natal, retratando o povo desta região e a miséria por ele sofrida. Contestatário e observador por natureza, a sua escrita era seguida de perto pela censura.Colaborou em várias publicações, de que se destacam as revistas "Afinidades", "Altitude", "Árvore", "Vértice", "O Pensamento", "Sol Nascente", "Seara Nova", os jornais "O Diabo" e "Diário" e fez parte do grupo do "Novo Cancioneiro".Escreveu, para além das obras referidas, os volumes de poesia "Planície" (1941), "Poemas Completos" (1958), "Poemas Dispersos" (1958), os contos "O Fogo e as Cinzas" (1951), "Um Anjo no Trapézio" (1968), "Tempo de Solidão" (1973), "Crónicas Algarvias" (1986), e os romances "Cerromaior" (1943), e "Seara de Vento" (1958). Colaborou também no jornal "A Capital" em 1986, com as "Crónicas Algarvias". Preparou ainda a "Antologia de Fialho de Almeida" (1984).